sexta-feira, 22 de outubro de 2021

FRDDP: vídeo de celebração em defesa do Presidente Gonzalo e o seu todo-poderoso pensamento gonzalo

 

FRDDP: vídeo de celebração em defesa do Presidente Gonzalo e o seu todo-poderoso pensamento gonzalo

Camponeses homenageiam o Chefe do preoletariado internacional, o Presidente Gonzalo. Foto: Reprodução

A Frente de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) publicou, no dia 17 de outubro, o vídeo de uma grande celebração camponesa em uma área rural no Brasil em defesa do Presidente Gonzalo e o seu todo-poderoso pensamento gonzalo.

Leia também: FRDDP (Brasil): 'Honra e glória eternas ao Presidente Gonzalo!

Veja aqui o vídeo completo:

LCP: 'Viva a resistência dos camponeses das áreas Tiago dos Santos e Ademar Ferreira!'


Recebemos  e reproduzimos uma importante nota emitida no dia 20 de outubro e assinada pela Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental (LCP) acerca da grandiosa resistência empreendida pelos camponeses das Áreas Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira em Rondônia.



VIVA A RESISTÊNCIA DOS CAMPONESES DAS ÁREAS  TIAGO DOS SANTOS E ADEMAR FERREIRA!

Está em curso operação ilegal e criminosa movida pela Força Nacional de Segurança do genocida e fascista Bolsonaro, da PM do governador de Rondônia, marionete de latifundiários, coronel Marcos Rocha, e também outros aparatos da Secretaria de Segurança estadual, comandadas pelo carniceiro de Santa Elina, Hélio Pachá entre outros aparatos repressivos contra as famílias camponesas que vivem e produzem nas suas terras nas áreas Tiago dos Santos e Ademar Ferreira, localizadas no distrito de Nova Mutum, zona rural de Porto Velho.

Desde muitos meses atrás, quando Bolsonaro desbocou seus ataques públicos contra a LCP e a luta camponesa, tem empenhado reforços em recursos, espiões, forças policiais, etc, para reprimir a justa luta pela terra particularmente em Rondônia. Diversas operações têm sido desencadeadas, apresentadas com diferentes nomes altissonantes, mas todas com o mesmo objetivo, que é a vã pretensão de varrer com a luta pela terra, e servir aos interesses de grandes latifundiários ladrões de terra da União.

Para garantir tais objetivos, não medem esforços nem consequências, e passam por cima de suas próprias leis, cometendo toda sorte de ilegalidades contra os camponeses e quem os apoia.

Área Tiago dos Santos resiste e covarde despejo é suspenso!

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

Área Tiago dos Santos resiste e covarde despejo é suspenso!

Uma liminar emitida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), assinada pela ministra Cármen Lúcia na tarde de 21 de outubro determinou a suspensão do despejo de milhares de camponeses da Área Tiago Campin dos Santos, localizada em Nova Mutum Paraná em Rondônia e também a imediata retirada das tropas policiais. 

A expulsão das mais de 800 famílias estava sendo levada a cabo por cerca de 3 mil policiais desde o dia 10/10, impasse longe de acabar uma vez que os camponeses já haviam afirmado que lutariam pela terra e realizado diversas ações de resistência como queima de pontes e barricadas na estrada.  

Camponeses organizam assembleia e militares fracassam na tentativa de dividir as massas

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

Camponeses organizam assembleia e militares fracassam na tentativa de dividir as massas

Na manhã de hoje, 21 de outubro, as sujas táticas de dividir a massa de camponeses em luta aplicadas pelas forças de repressão foram frustradas diante da organização e combatividade dos moradores da Área Tiago Campin dos Santos. Uma grande Assembleia foi organizada por dezenas de famílias expulsas da área que não aceitaram a situação de calamidade imposta pelo velho Estado. 

Em uma exitosa Assembleia, os camponeses definiram os caminhos do alojamento e seguiram a mobilização. Foto: Banco de Dados AND

Tiago dos Santos/RO: Cerco policial prossegue durante toda quarta-feira; camponeses não se intimidam

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

Tiago dos Santos/RO: Cerco policial prossegue durante toda quarta-feira; camponeses não se intimidam

Ao anoitecer as tropas policiais realizam despejo ilegal contra as famílias da Área Tiago Campin dos Santos. Foto: Reprodução

Em mais um vídeo enviado ao Jornal A Nova Democracia no dia 20 de outubro, os camponeses de Rondônia relatam que persiste o cerco ilegal e covarde da Polícia Militar de Rondônia (PM-RO), Força Nacional de Segurança Pública e outras unidades de órgãos de repressão. O despejo ilegal e arbitrário seguiu pela noite e pelo menos 17 caminhonetes estão dentro da Área Tiago Campin dos Santos em Nova Mutum em Rondônia.

Tiago dos Santos: Dentro da área, polícia é rechaçada pelos camponeses, que não se intimidam com arsenal de guerra (assista ao vídeo)

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

Tiago dos Santos: Dentro da área, polícia é rechaçada pelos camponeses, que não se intimidam com arsenal de guerra (assista ao vídeo)

Policial cão de guarda do latifúndio é rechaçado pelas massas camponesas. Foto: Banco de Dados AND

megaoperação feita pela PM-RO seguiu durante todo dia de ontem, 20 de outubro, removendo os camponeses, parte por parte. Buscando dividir as massas, as forças da repressão estão aplicando a tática de prometer e ameaçar, isto é, prometer condições de estadia para quem decidir se retirar da área, e ameaçar usar toda sua violência reacionárias aqueles que decidirem ficar.

Diante disso, os camponeses têm reagido e rechaçado as forças policiais. Mesmo contando com helicópteros, num cerco que mobiliza mais de 3 mil soldados de diferentes instituições militares reacionárias, a reação não consegue intimidar as massas.

Cerco e despejo ilegais ocorrem noite adentro na Área Tiago dos Santos

 

  

Cerco e despejo ilegais ocorrem noite adentro na Área Tiago dos Santos

Militares abordam moradores e impedem a entrada e saída nas áreas. Foto: Banco de dados AND.

Camponeses que furaram o cerco policial denunciam que, neste momento, está ocorrendo o despejo ilegal na Área Revolucionária Tiago Campin dos Santos. O despejo, imoral e ilegítimo, está ocorrendo desde a noite de 19 de outubro, sem a presença de um Oficial de Justiça, em atitude totalmente clandestina e ilegal. 

De acordo com os relatos, policiais de diversas unidades da Polícia Militar de Rondônia (PM-RO), da Força Nacional de Segurança Pública e da Polícia Civil prosseguem com o cerco e removendo as famílias da área. Homens encapuzados e paramilitares (conhecidos na região como "guaxebas", pistoleiros) acompanham a operação.

Os camponeses denunciam que as tropas visam expulsar as mulheres e crianças primeiro, deixando os homens para poder forjar e simular um confronto armado e justificar o massacre.

RO: PM cerca Área Tiago dos Santos, impede entrada de comida e agride moradores da região

 

 

RO: PM cerca Área Tiago dos Santos, impede entrada de comida e agride moradores da região

Tropas militares cercam Área Tiago Campin dos Santos. Foto: Banco de dados AND.

Há dias consecutivos mais de 3 mil de tropas reacionárias avançam sobre a Área Tiago Campin dos Santos, em Rondônia, preparando o que encobrem como despejo, porém já está relevado se tratar de uma gigantesca operação de guerra disposta a evocar toda violência reacionária contra os que lutam pela terra. O AND segue acompanhando e repercutindo as graves denúncias feitas por camponeses e apoiadores. 

RO: Latifundiário é morto em área de conflito agrário em Vilhena

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

RO: Latifundiário é morto em área de conflito agrário em Vilhena

Heladio Cândido Senn ("Nego Zen") foi morto em 13 de outubro. Foto: Reprodução

Um conhecido latifundiário rondoniense chamado Heladio Cândido Senn, o “Nego Zen”, foi executado na noite de 13 de outubro, junto com sua esposa Sônia Biavatti e outros três funcionários ("seguranças"). As mortes ocorreram na chamada Fazenda Vilhena, localizada a cerca de 60 quilômetros do município de Vilhena, no Setor 8, Gleba Corumbiara, em Rondônia. Denúncias apontam que ambos foram colocados de joelho e executados com tiros na nuca. 

“Nego Zen” era conhecido por organizar serviço de pistolagem na região, segundo constantes denúncias de movimentos de luta pela terra. Ele tinha muitas desavenças entre os latifundiários locais devido a disputas por terras e roubo de gados. O local onde ocorreram as mortes é apontado como área de conflito agrário e a pistolagem gerenciada por “Nego Zen” atuava principalmente contra os camponeses.

O latifundiário, que respondia a diversos processos trabalhistas, já havia sido preso junto a mais três pessoas por porte ilegal de arma e foi denunciado por sequestro, formação de quadrilha, cárcere privado e tortura.

Heladio Cândido Senn ("Nego Zen") foi executado em 13 de outubro. Foto: Reprodução

RESISTÊNCIA! Famílias resistem à tentativa de novo massacre no Tiago dos Santos, RO

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

RESISTÊNCIA! Famílias resistem à tentativa de novo massacre no Tiago dos Santos, RO

Pontes que possibilitam o acesso da Polícia ao Acampamento foram incendiadas em Rondônia. Foto: Banco de Dados AND

Segundo informações enviadas por apoiadores à redação na noite de 17 de outubro, domingo, os camponeses pobres de Rondônia seguem resistindo firmemente à operação de guerra montada pela reação em Nova Mutum para despejá-los de suas terras, na Área Tiago Campin dos Santos. Pontes foram incendiadas pelos trabalhadores e as estradas bloqueadas, tudo para impedir um novo massacre na área.

Pontes que possibilitam o acesso da Polícia ao Acampamento foram incendiadas em Rondônia. Foto: Banco de Dados AND

Tudo ocorre após as últimas denúncias dos camponeses de Rondônia de que um grande massacre está sendo preparado – cuja última expressão foi a mobilização de mais de 3 mil soldados no sábado, 16 de outubro.

Acuada pela resistência contundente das famílias trabalhadoras e pela grande campanha de apoio, a Polícia Militar de Rondônia (PM-RO) divulgou uma nota no domingo, dia 17 de outubro, buscando justificar-se. Nela, a PM-RO afirma que a operação de despejo da Área Tiago Campin dos Santos está sob sua direção.

Estradas também foram bloqueadas pela resistência das famílias em Rondônia e impossibilitaram o acesso da Polícia ao Acampamento. Foto: Banco de Dados AND

Para realizar a chamada Operação "Nova Mutum" estão mobilizados mais de 3 mil agentes das forças de repressão, número exorbitante, dentro do qual há tropas especiais (que, contudo, não intimidam os camponeses). A operação tem por objetivo atacar as mais de 600 famílias (cerca de 2 mil pessoas) das áreas Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira, localizadas no distrito de Nova Mutum, zona rural de Porto Velho.

Em sua nota, a PM-RO, defensora do latifúndio, afirma que vem "esclarecer" que não se trata de uma operação conduzida pela Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), de alçada do governo federal. A PM-RO admite, porém, a participação da FNSP "em caráter de apoio" juntamente com o Núcleo de Operações Aéreas da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e cidadania (Sesdec); com o Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia (CBMRO). Até mesmo a corporação de outro estado também toma parte na operação: a Polícia Militar do Mato Grosso do Sul. A nota termina colocando que novas informações devem ser divulgadas nos próximos dias.

Nesta mais recente operação, a PM-RO indica que está cumprindo a decisão de 7 processos julgados pelo Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO).

Mais de 3 mil policiais estão rondando o local que mais de 800 famílias estão lutando por um pedaço de terra em Rondônia. Foto: Reproduçãospan>

JUSTIÇA, NOVAMENTE, DÁ AVAL A ATAQUES CONTRA O POVO

Em decisão da 10ª Promotoria de Justiça de Porto Velho, o judiciário de Rondônia determina que agentes policiais adotem "imediato patrulhamento" para paralisar o que chamam de "crimes ambientais", referindo-se às construções camponesas que ali vivem e trabalham. Além disso, determina que o Comando Geral da PM faça o registro de suas ações.

Não há nenhuma referência, neste documento emitido no dia 15/10, às inúmeras denúncias dos camponeses sobre as ilegalidades e ataques deliberados de agentes da PM, da Força Nacional e de pistoleiros dos latifundiários da região contra as famílias trabalhadoras.

No dia 13 de agosto, agentes da Força Nacional, em conjunto com a PM, assassinaram pelas costas três camponeses. Amarildo (49 anos), Amaral (17) e Kevin (21) tiveram seus corpos atravessados por projéteis de fuzil disparados pelos agentes. Na ação ilegal foi usado um helicóptero. Os camponeses que estavam presentes no momento denunciaram que os disparos vinham deste helicóptero. Muitos camponeses fugiram para dentro da mata. Um carro também foi alvejado pelos disparos.

Em nota, o portal do jornal Resistência Camponesa afirma que os ataques não cessaram, mas recrudesceram. Em uma nova investida da Força Nacional e da PM-RO contra os camponeses pobres, ocorrida nos dias 2 e 3 de setembro, pelo menos 14 viaturas invadiram a área Ademar Ferreira, apontaram fuzis para crianças e mulheres, além de "apreenderem" (roubarem) motos e incendiarem os barracos. Os policiais "agentes da lei" ainda contaminaram os poços d'água e prenderam arbitrariamente seis adultos e seis crianças, largando-os à esmo em Porto Velho (sem fazer Registro de Ocorrência).

OPERAÇÃO DE GUERRA CONTRA QUEM BUSCA UM PEDAÇO DE TERRA

Trata-se de verdadeira maquinação envolvendo milhares de tropas, que são mantidas com o dinheiro público, cujo objetivo é servir de força de apoio do latifúndio. Os camponeses das Área Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira já realizaram uma série de denúncias de ataques que caracterizam como covardes e criminosos por parte de agentes da Força Nacional, da PM-RO e outros órgãos do velho Estado brasileiro. Os latifundiários Antônio Martins dos Santos ("Galo Velho") e Ricardo Leite, segundo os pronunciamentos da Liga dos Camponeses Pobres, mantêm ainda pistoleiros ao seu serviço que engrossam as fileiras da tropa reacionária mobilizada para atacar os camponeses.

Mais de 3 mil policiais estão rondando o local que mais de 800 famílias estão lutando por um pedaço de terra em Rondônia. Foto: Reproduçãospan>

URGENTE! Mais de 3 mil soldados se preparam para novo massacre na Área Tiago Campin dos Santos, em RO

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

URGENTE! Mais de 3 mil soldados se preparam para novo massacre na Área Tiago Campin dos Santos, em RO

Mais de 3 mil soldados estão mobilizados desde sábado, 16 de outubro, para reprimir a luta por terra. Na foto, camponeses no Acampamento Tiago dos Santos em meio a resistência ocorrida em outubro de 2020. Foto: Banco de dados AND

No final da tarde do dia 16 de outubro, sábado, recebemos em nossa redação um vídeo de uma camponesa moradora de Nova Mutum Paraná, em Rondônia. O vídeo registra várias dezenas de carros da Polícia Militar (PM) de Rondônia, Força Nacional de Segurança e Polícia Federal. É possível ver, também, pelo menos dois helicópteros militares sobrevoando em uma área feita de zona de pouso. Se trata de um gigantesco aparato de guerra que as forças repressivas do velho Estado movimentam nas proximidades do Área Tiago Campin dos Santos.

Recentemente, os camponeses, organizados em Assembleia Popular, declararam que estão enfrentando uma nova tentativa de expulsão de suas terras. Os camponeses declararam ainda que estão organizados na luta por um pedaço de terra e que o governador de Rondônia, Marcos Rocha (fiel aliado do fascista Bolsonaro) está por meses buscando atacá-los, negando o direito constitucional à terra. Nos últimos meses já ocorreu uma chacina que vitimou 3 camponeses na área rural de Porto Velho, capital do estado.

O vídeo pode ser visto abaixo. Em breve novas informações. 

RO: Camponeses resistem e denunciam invasão criminosa de tropas policiais

 Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

RO: Camponeses resistem e denunciam invasão criminosa de tropas policiais

Desde 11 de outubro, policiais encapuzados têm praticado uma série de investidas criminosas contra os camponeses das Áreas Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira, no distrito de Nova Mutum, zona rural de Porto Velho, em Rondônia. As tropas de agentes do velho Estado brasileiro agem a serviço do latifúndio e recentemente invadiram diversas áreas camponesas organizadas pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP). Um novo massacre está sendo preparado pelas forças de repressão, conforme apontam denúncias feitas pelos trabalhadores e por diversas entidades democráticas. 

O estado de Rondônia foi palco de uma série de resistências camponesas contra a violência do latifúndio ladrão de terra. Desde 1995, no episódio conhecido como a Heróica Resistência de Corumbiara, até mais recentemente, na vitoriosa jornada de lutas do Acampamento Manoel Ribeiro, milhares de brasileiros camponeses pobres, sem terra ou com pouca terra, unidos à uma massa de desempregados que se transferem ao campo em busca de um terra para viver e trabalhar, têm levado a cabo uma grande luta.

OS GRAVES RELATOS DOS CAMPONESES

AND teve acesso a diversos áudios onde os camponeses das áreas Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira relatam que os ataques mais estão sendo praticados pelas tropas da Força Nacional de Segurança Pública do fascista Bolsonaro e pela Polícia Militar (PM) assassina do governador Marcos Rocha. As incursões terroristas dos agentes da repressão incluem ainda tropas do Batalhão de Fronteira e caminhões do Corpo de Bombeiros. 

“Os policiais estão todos encapuzados, ninguém vê o rosto de ninguém não, estão daquele jeitão mesmo, ‘tão’ vindo com vontade de executar este povo aqui”, relata um camponês que segue: “[os camponeses] soltaram fogos e eles [os policiais] voltaram para trás. Olha o horário, são 17h47 agora, eles estavam aqui até agora”, constatando que a resistência empreendida pelas famílias tem impedido que o massacre prenunciado aconteça.

Os camponeses em luta também ressaltam a possibilidade de parte das tropas estarem escondidas na mata. “Rajadas de fuzil lá na frente. Os homens vieram no meio da tarde e provavelmente deixaram alguém no mato”, afirma um dos trabalhadores. 

Camponeses denunciam que policiais danificaram motos com furos em pneus e corte de correias. Foto: Resistência Camponesa

RO: ‘Essas terras são do povo e lutaremos por elas’, afirmam camponeses enquanto PM e Força Nacional preparam massacre

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


 

RO: ‘Essas terras são do povo e lutaremos por elas’, afirmam camponeses enquanto PM e Força Nacional preparam massacre

Assembleia Popular das Áreas Tiago Campin dos Santos e Ademar Ferreira, 02 de outubro de 2021. Foto: Resistência Camponesa

Durante a AP as famílias declaram: "Não sairemos daqui, essas terras são do povo e lutaremos por elas". Foto: Resistência Camponesa

Urgente: Nova ordem de despejo é emitida contra Acampamento Tiago dos Santos

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


Urgente: Nova ordem de despejo é emitida contra Acampamento Tiago dos Santos

 TAÍS SOUZA

  


Não completaram-se dois meses desde a chacina que ceifou a vida de quatro camponeses acampados em Nova Mutum Paraná, Rondônia, um novo ataque é anunciado na mesma cidade, também levado a cabo pelo velho Estado em conluio com o latifúndio. O alvo é o Acampamento Tiago dos Santos, onde vivem mais de 800 camponeses organizados pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP). A nova ordem de despejo foi emitida em 28 de setembro pela "justiça" em  favor do latifundiário e grileiro, Galo Velho. 

A ordem de despejo, que já autorizou o “uso de reforço policial” para efetuar a expulsão, vem após recentes e sucessivos ataques das forças policiais e pistoleiros direcionados ao Acampamento Tiago dos Santos e Acampamento Ademar Ferreira, onde viviam os camponeses assassinados em agosto. 

O ACAMPAMENTO TIAGO DOS SANTOS   

A área ocupada faz parte de um grande latifúndio de mais de 57 mil hectares, cujo suposto proprietário seria a empresa Leme Empreendimentos Ltda, de propriedade de Antônio Martins (Galo Velho), citado no Livro Branco de Grilagem de Terras como grileiro de mais de 80 mil hectares de terras na região de Porto Velho, capital de Rondônia.

Desde que a área foi ocupada, em março de 2020, as famílias camponesas vivem e produzem. Naquelas terras que antes se encontravam paradas, sem qualquer utilidade, a organização popular fez o corte popular e entregou terra para os muitos desempregados que se juntaram aos camponeses pobres sem terra nos últimos anos de pandemia, crise e fome. Buscaram e conseguiram um pedaço de terra para nela viver com dignidade. Essas massas, após já terem resistido às tentativas de despejo (como a ocorrida em 10 de outubro de 2020, onde os trabalhadores impediram um massacre da Polícia Militar e, diante da tentativa de expulsão, dias depois os camponeses reocuparam as terras), estão novamente ameaçadas.

Leia também: Acampamento Tiago dos Santos é cercado pela PM, resiste e impede novo

Camponeses em meio a resistência ocorrida em outubro de 2020. Foto: Banco de dados AND

RJ: Ativistas celebram a vida e obra do Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:

RJ: Ativistas celebram a vida e obra do Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento

MFP faz atividade cultural em homenagem ao Presidente Gonzalo e a Revolução Peruana. Foto: Banco de Dados AND

No dia 13 de outubro, a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) realizou uma celebração em homenagem ao Presidente Gonzalo, Chefatura do Partido Comunista do Peru (PCP) e da Revolução Peruana, Chefe da Revolução Proletária Mundial, e seu todo-poderoso pensamento gonzalo. A cerimônia foi realizada no Rio de Janeiro e contou com a presença de aproximadamente 100 ativistas, dentre jovens e mulheres revolucionários, operários e estudantes.

MG: Vitoriosa celebração no Brejo dos Crioulos homenageia o Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento gonzalo!

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:

COMITÊ DE APOIO - VELHO CHICO (MG)

  

No final  da tarde do dia 9 de outubro foi realizada uma vitoriosa celebração em homenagem ao Presidente Gonzalo junto aos remanescentes quilombolas do Território Brejo dos Crioulos, município de Varzelândia, Norte de Minas Gerais. 

Dirigentes, ativistas e massas quilombolas, junto de companheiras e companheiros da  Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e Movimento Feminino Popular (MFP), tomaram parte na celebração organizada pela Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) e convocadas pelo Movimento Comunista Internacional (MCI) sob a consigna de O Presidente Gonzalo vive em seu todo-poderoso pensamento Gonzalo!

Celebração em homenagem ao Presidente Gonzalo foi realizada no território quilombola Brejo dos Crioulos, em Varzelândia, estado de Minas Gerais. Foto: Banco de Dados AND

Camponeses da Zona da Mata realizam ato em defesa do Presidente Gonzalo no Nordeste!

 

Notícia reproduzida do Jornal A Nova Democracia:


Camponeses da Zona da Mata realizam ato em defesa do Presidente Gonzalo no Nordeste!

Celebração organizada pelos revolucionários na Zona da Mata do Nordeste do Brasil em homenagem ao grande Chefe do proletariado internacional, Presidente Gonzalo. Foto: Banco de Dados AND

No dia 03 de outubro, camponeses, estudantes e professores da Zona da Mata da região Nordeste do país se reuniram para celebrar a vida e a obra do Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento. A celebração solene aconteceu por volta das 10h da manhã e as famílias camponesas mobilizadas organizaram um café da manhã para receber os convidados.

Vigorosa celebração homenageia o Presidente Gonzalo em BH

Notícia reproduzida do Jornal A Nova democracia: 


Vigorosa celebração homenageia o Presidente Gonzalo em BH

Celebração realizada pela FRDDP em Belo Horizonte, Minas Gerais. Foto: Banco de Dados AND

No dia 03 de outubro, a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) realizou uma sessão solene convocada especialmente para celebrar o 29º aniversário do Discurso do Presidente Gonzalo. A celebração prestou honras e glórias ao grande dirigente comunista do Peru e do proletariado internacional, Dr. Abimael Guzmán Reinoso, Presidente Gonzalo, chefatura do Partido Comunista do Peru (PCP), assassinado pelo velho Estado peruano e o imperialismo ianque no último dia 11 de setembro. 

sexta-feira, 1 de outubro de 2021

PE: Camponeses realizam ato em defesa do Presidente Gonzalo

 

PE: Camponeses realizam ato em defesa do Presidente Gonzalo


AND

JOÃO ALVES
 
 

Manifestação organizada pela Liga dos Camponeses Pobres de Pernambuco, da Área Revolucionária José Ricardo conclama: Presidente Gonzalo Vive!. Foto: Banco de Dados AND

No dia 24 de setembro de 2021, por ocasião dos 29 anos do discurso do Presidente Gonzalo, os camponeses da Área Revolucionária José Ricardo, Pernambuco, organizados pela Liga dos Camponeses Pobres do Nordeste, realizaram um ato em defesa do Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento.

Logo após receber o informe do assassinato do Presidente Gonzalo pelas forças reacionárias do Peru, toda direção da área revolucionária tomou posição pela defesa de seu pensamento todo-poderoso e iniciou uma mobilização entre as massas camponesas para realizar um ato como parte na Campanha Internacional de defesa da chefatura do Presidente Gonzalo. Foram organizadas intervenções na Escola Popular Elizabete Teixeira e visitas nas casas das famílias camponesas da área. Camponeses de outras áreas também foram mobilizados, compareceram representantes do campesinato alagoano, da Área Revolucionária Renato Nathan e outras lideranças camponesas.

Norte de Minas: Vigorosa celebração de camponeses presta honras ao Presidente Gonzalo

 Reproduzimos do Jornal A Nova Democracia:

Norte de Minas: Vigorosa celebração de camponeses presta honras ao Presidente Gonzalo

AND 

JOÃO ALVES

 

Camponeses do Norte de Minas e do Sul da Bahia, organizados pela Liga dos Camponeses Pobres, tomam parte da Campanha em defesa do Presidente Gonzalo e seu todo-poderoso pensamento. Foto: Banco de Dados AND

No dia 24 de setembro, ativistas da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e do Sul da Bahia reuniram-se em sessão solene convocada especialmente para celebrar o 29º aniversário do Discurso do Presidente Gonzalo. O Dr. Abimael Guzmán Reinoso foi assassinado pela reação peruana e o imperialismo ianque no último dia 11 de Setembro. A celebração prestou honras e glórias ao Presidente Gonzalo grande dirigente comunista e seu todo-poderoso pensamento Gonzalo.

A sessão solene iniciou-se com o canto da Internacional Comunista, perante as imagens dos grandes titãs do proletariado internacional Marx, Lenin e Presidente Mao Tsetung e um cartaz do Presidente Gonzalo, onde se lia Honra e Glórias eternas ao Presidente Gonzalo. Durante a canção, um grande cartaz que reproduzia o cartaz da Campanha Internacional foi desfraldado diante de dois guardas de honra. Na mesa, dirigentes da LCP e do MFP conclamavam O Presidente Gonzalo vive em seu todo-poderoso pensamento gonzalo! e O Presidente Gonzalo é imortal!Abaixo o imperialismo e a reação!Abaixo as ratazanas traidoras e capituladoras da LOD! e muitos vivas à revolução peruana e a guerra popular no Peru.

No Sertão nordestino, camponeses participam de homenagem ao Presidente Gonzalo

Reproduzimos do Jornal A Nova Democracia:

 

No Sertão nordestino, camponeses participam de homenagem ao Presidente Gonzalo

AND - 

JOÃO ALVES 

Celebração em homenagem ao Presidente Gonzalo ocorrida no sertão nordestino. A atividade ocorreu em um bairro proletário em área
de luta pela moradia. Foto: Banco de Dados AND

Celebração em homenagem ao Presidente Gonzalo ocorrida no sertão nordestino. A atividade ocorreu em um bairro proletário em área
de luta pela moradia. Foto: Banco de Dados AND

Recebemos na Redação o relato sobre uma celebração organizada para prestar honras e celebrar o imortal legado do Presidente Gonzalo e de seu todo-poderoso pensamento. Uma vibrante celebração foi realizada no sertão nordestino, no dia 24 de setembro, Dia internacional de Ação pelo Presidente Gonzalo. A atividade ocorreu em um bairro proletário em área de luta pela moradia e participaram mais de 30 pessoas, dentre trabalhadores e estudantes.

A homenagem foi organizada pelo Movimento

Notícias recentes

AND - Vídeo: Resistência e retomada da Área Tiago dos Santos

Leia importantes notícias sobre a luta pela terra retiradas do Jornal A Nova Democracia.  A Nova democracia      - TAÍS SOUZA     02 NOVEMBR...