terça-feira, 18 de setembro de 2018

Qualquer peça por apenas 1 real! Bazar do Socorro Popular em Montes Claros - Norte de Minas Gerais

Reproduzimos a seguir matéria publicada no site Resistência Camponesa sobre importante iniciativa de autosustentação do Socorro Popular em Montes Claros no Norte de Minas Gerais: o bazar itinerante do Socorro Popular.

Qualquer peça por apenas 1 real!



Há 3 anos o Socorro Popular do Norte de Minas desenvolve uma experiencia de ajuda mútua num bairro proletário de Montes Claros. Resolvemos compartilhar, após um balanço positivo, de como pequenas iniciativas econômicas se vinculam à nossa luta por sustentar um trabalho político de base com as massas pobres das cidades, por comprovar na prática que os GAM – Grupos de Ajuda Mútua podem desenvolver-se nas cidades apoiados nos princípios de trabalho coletivo, solidariedade aos que lutam, de auto sustentação e de companheirismo!

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Eleição Não! Revolução Sim!Roteiro para a campanha de boicote à farsa das eleições - FRDDP

Publicamos a seguir o documento da Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo – Brasil, o qual retiramos do site do MEPR - Movimento Estudantil Popular Revolucionário.

Este importante documento apresenta três questões, de forma a servir ao aprofundamento do estudo de ativistas revolucionários sobre o conteúdo e forma da campanha do boicote contra a farsa eleitoral:

1) a de qual é aposição dos comunistas sobre as eleições burguesas e a posição dos revisionistas; 2) a do entendimento de sobre que bases as eleições se realizam na atualidade e suas implicações para a reação e para a revolução; e 3) sobre o objetivo e conteúdo da campanha de boicote.

Recomendamos o estudo desse documento em todos os núcleos do MFP:

Segue o link para donwload:


Não vote, organize-se e lute!


terça-feira, 11 de setembro de 2018

Medidas protetivas: O velho Estado não pode assegurar a vida das mulheres

Reproduzimos a seguir matéria de publicada no Jornal A Nova Democracia Ano XVII, nº 215 - 1ª quinzena de Setembro de 2018.

Medidas protetivas: O velho Estado não pode assegurar a vida das mulheres

 
No dia 28 de julho, Jéssica Junkherr, de 27 anos, foi assassinada com dois tiros no rosto efetuados pelo ex-marido, que depois do crime tentou se matar. Ele não aceitava o fim do relacionamento. Jéssica já havia denunciado o ex-companheiro e pedido medidas protetivas por duas vezes no mesmo mês.
Em memória de Remís Carla - Charge: Vini Oliveira
Um caso bárbaro, porém que se repete com certa frequência. Em junho, uma outra jovem, Tauane dos Santos, de 23 anos, foi assassinada por seu ex-companheiro no Distrito Federal. Após agredir e tentar esganar Tauane, revirar sua casa e destruir vários móveis, Vinicius de Souza, 24 anos, foi preso quando vizinhos chamaram a polícia, no dia 3. Foi liberado após audiência de custódia no dia seguinte, e voltou à casa da ex-companheira, no dia 6 de junho,esfaqueando-a várias vezes. Após o ocorrido, Vinicius tentou se matar.
Retomemos também o caso de Remís Carla, 24 anos, estudante de pedagogia e militante de organizações revolucionárias, como o Movimento Feminino Popular (MFP) em Recife. Após seis dias desaparecida, a jovem foi encontrada morta, em dezembro de 2017, a dez metros da casa de seu ex-companheiro, contra quem já havia feito denúncias. Remís foi estrangulada por Paulo César da Silva, de 25 anos, até a morte e, em seguida, enterrada enrolada em lençóis, conforme averiguaram as investigações.

domingo, 9 de setembro de 2018

Centenas marcham contra a intervenção militar e a condenação dos 23

Reproduzimos a seguir matéria de Ellan Lustosa publicada no Jornal A Nova Democracia Ano XVII, nº 215 - 1ª quinzena de Setembro de 2018.

RJ: Centenas marcham contra a intervenção militar e a condenação dos 23

 
Centenas de manifestantes percorreram o centro do Rio de Janeiro no dia 14 de agosto, desfraldando bandeiras em defesa dos 23 ativistas condenados recentemente, pelo direito à livre manifestação, contra a intervenção militar, contra o genocídio do povo pobre e negro nas favelas e em repúdio ao assassinato político de Marielle Franco. O ato foi convocado pela campanha Não é só pelos 23, é por todas e todos que lutam! e contou com a participação das mães e familiares vítimas da violência do velho Estado.
Ellan Lustosa/AND

Juventude combatente marcha junto com as mães contra a intervenção militar e o genocídio do povo pobre e negro.


Notícias recentes

Qualquer peça por apenas 1 real! Bazar do Socorro Popular em Montes Claros - Norte de Minas Gerais

Reproduzimos a seguir matéria publicada no site Resistência Camponesa sobre importante iniciativa de autosustentação do Socorro Popular em ...