sábado, 10 de outubro de 2020

Saudacao às mulheres e crianças do Acampamento Tiago dos Santos que se encontram cercados


O MFP saúda a luta camponesa do acampamento Tiago dos Santos em Rondônia e de todo o país. A belíssima imagem das mulheres junto com suas crianças dispostas a enfrentar todo aparato policial militar do velho Estado para garantir o seu sagrado direito à terra para trabalhar e sustentar suas famílias é reveladora daquilo que todos os sabujos desse Estado burguês-latifundiário, serviçal do imperialismo, principalmente norte-americano, defensor de grileiros e pistoleiros tentam esconder: a fúria secular do povo em geral e das mulheres em particular contra toda essa velha ordem de exploração e opressão.

Quando as crianças gritam suas palavras de ordem “queremos leite”, junto com suas mães, afirmam que apesar do medo a coragem é maior para lutar e defender a terra, demonstrando energicamente que nada nem ninguém pode deter a luta camponesa nesse país de miséria. As mulheres de rosto tampado, com filhos nos braços e empunhando bandeiras vermelhas, é um comovente e contundente exemplo para quem ainda duvida da fúria e da luta popular, ou, como faz o oportunismo, só vê a gritaria histérica dos fascistas e não enxerga a fibra, coragem e disposição do povo de lutar.

Nenhuma mentira pode apagar o fato de que os maiores bandidos e assassinos desse país são os grandes burgueses e latifundiários e todos os seus asseclas. Quem quer que se interponha à sua frente não impedirá a luta que é maior quanto maior for a opressão. A declaração dessa mulher camponesa expressa a fúria e decisão da mulher pobre em todas as partes de nosso país e em todo o mundo. As mulheres do povo que na batalha para defender o pão dos filhos, defender o pedaço de chão para sair da humilhação, defender os direitos mínimos de sobrevivência, passam por cima de qualquer tipo de dificuldade e transformam-se em verdadeiras leoas capazes de superar qualquer obstáculo.

Saudamos todos os camponeses do acampamento Tiago dos Santos e particularmente as mulheres e crianças. Voces nao estao sozinhos nessa batalha!

Rebelar-se é justo!

Terra para quem nela vive e trabalha!

Viva a Revolução Agrária!

Viva o acampamento Tiago dos Santos e a Liga dos Camponeses Pobres!

Viva a luta das mulheres do povo!

Despertar a fúria revolucionária da mulher!



A seguir o vídeo e a notícia do Jornal A Nova Democracia:





URGENTE! PM cerca covardemente Acampamento Tiago dos Santos e impede entrada de mantimentos

Taís Souza (A Nova Democracia, 08 de outubro, 2020)

Camponeses do Acampamento Tiago dos Santos, localizado na região de Porto Velho, em Rondônia, denunciam o covarde cerco imposto pela Polícia Militar (PM) nesse momento. Os trabalhadores, que são organizados pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia e Amazônia Ocidental, estão sendo impedidos de entrar e sair do acampamento pela PM, assim como é impedida a entrada de mantimentos.

Em um vídeo divulgado pelos próprios camponeses, mulheres, mães e crianças do acampamento denunciam o cerco feito pela PM, reivindicam leite e alimentação e afirmam que desde o dia 5 de outubro já falta leite para as crianças.

De acordo com denúncia recebida pela redação de AND, os camponeses afirmam: “Estamos todos muito preocupados aqui com as violações de direitos que podem acontecer, assassinatos, torturas, humilhações e retaliações aos camponeses inocentes”.

O fato ocorre desde que mentiras foram propagadas pelo monopólio de imprensa atribuindo o assassinato de um policial ao acampamento, acusação sem indício algum que justificasse. A morte do tenente da reserva, ocorrida na tarde do dia 3 de outubro, há dezenas de quilômetros de distância do acampamento, desencadeou toda sanha da sanguinária da PM de Rondônia, que passou a atacar os camponeses do Acampamento Tiago dos Santos e da área Dois Amigos, na região do distrito de União Bandeirantes, em Porto Velho. Logo após o ocorrido, através de uma rede social, o fascista Jair Bolsonaro fez uma incitação contra a LCP, publicando um vídeo dos camponeses em uma outra área, no qual policiais são expulsos do acampamento após tentarem intimidar as famílias, sem mandado judicial. Na ocasião, o capitão golpista publicou: "Eu tenho a minha opinião, qual é a sua?".

Leia mais: Assassinato de oficial da reserva da PM é a sanha para justificar ataques aos camponeses

Em nota emitida pela LCP, o movimento afirma que a morte do policial é fruto do acerto de contas entre bandas de policiais militares, pistoleiros e grupos de grileiros, e nada tem a ver com os camponeses pobres.

Afirmam também que no Acampamento Tiago dos Santos há mais de 600 famílias, 2 mil homens, mulheres e crianças que lutam por uma área pública, de mais de 57 mil hectares, criminosa e ilegalmente grilada, roubada e usada pelo latifundiário Antônio Martins dos Santos, conhecido como "Galo Velho".

Leia mais: 'Abaixo as mentiras da PM de Rondônia e dos sites 'marrons' a serviço do latifúndio', conclama LCP.

O movimento conclama que todas as vozes dos democratas e honestos, por esse Brasil afora, se levantem imediatamente e afirma ainda: “Todo esse discurso é para esconder alguma coisa muito grave e justificar um massacre! Viva a luta pela terra! Terra para quem nela vive e trabalha!”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias recentes

AND - Vídeo: Resistência e retomada da Área Tiago dos Santos

Leia importantes notícias sobre a luta pela terra retiradas do Jornal A Nova Democracia.  A Nova democracia      - TAÍS SOUZA     02 NOVEMBR...