quinta-feira, 23 de maio de 2019

Barão de Cocais - MG: Vale assassina e terrorista!


Vale assassina e terrorista!


Manifestação do MFP em Brumadinho em 8 de março de 2019
Mais uma vez a população de Minas Gerais sofre com o terrorismo promovido pela Vale. Em Barão de Cocais, a 93 km de Belo Horizonte, o risco de rompimento da barragem Sul Superior, da mineradora Vale, é iminente e provocará mortes, inundações em três municípios, desabastecimento de água e luz, destruição de pontes e estradas. 

Cerca de 10 mil pessoas estão sendo expulsas de suas casas, ameaçadas que estão de serem levadas pela lama nos municípios de Barão de Cocais, Santa Bárbara e São Gonçalo do Rio Abaixo: mais de 10% da população que, somados os três municípios, é de 73,8 mil pessoas!

A Vale segue devastando nosso país, sugando o sangue e o suor do povo trabalhador, sugando e destruindo nossas riquezas naturais e assassinando e praticando terrorismo diariamente contra o nosso povo impunemente. 



Pichação contra o crime terrorista da Vale - Belo Horizonte/MG
Em Brumadinho, em janeiro deste ano, o Brasil e o mundo assistiram a mais um crime hediondo da empresa mineradora Vale contra o povo e a nação. Depois de três anos em que o distrito de Bento Rodrigues em Mariana – MG foi devastado pela Vale, assassinando mais de 19 pessoas, dessa vez foi o Córrego do Feijão, bairro de Brumadinho – MG. Mais de 300 trabalhadores e trabalhadoras, funcionários da Vale, de suas empreiteiras e moradores do Córrego do Feijão em Brumadinho, tiveram suas vidas roubadas pela ganância exploratória dessa empresa a serviço dos interesses do capital financeiro internacional. 225 corpos foram encontrados e identificados. Além disso, a estas famílias se somam às de dezenas de desaparecidos que seguem com o drama de não poderem enterrar seus entes queridos, que foram forçadamente desaparecidos. A destruição não para por aí. O Rio Paraopeba, um dos principais afluentes do São Francisco, está devastado, contaminado com a lama de rejeitos e metais pesados. Centenas, milhares de famílias, pequenos comerciantes, camponeses, pescadores, indígenas e comunidades quilombolas foram atingidos e estão condenados às mais diversas dificuldades, pois perderam parentes e amigos, animais de criação e estimação, casas, empregos e produção.
 Vale assassina e terrorista! MFP no 1 de maio de 2019 - Contagem MG

A Vale é um dos principais baluartes da subjugação nacional e expressão do caráter semifeudal e semicolonial. Semifeudal porque mantém o país como vendedor de commodities e semicolonial porque é base para a exploração imperialista, hoje principalmente ianque. A atividade mineradora foi desenvolvida em nossa história pelas oligarquias latifundiárias e pela grande burguesia (compradora e burocrática) sempre segundo os interesses do imperialismo como forma
de acentuar a dominação e a subjugação do povo brasileiro. Não é necessária uma grande revisão da nossa história para vermos que essa atividade, um dos pilares da economia nacional, se desenvolveu de forma predatória das riquezas minerais nacionais, em prol do enriquecimento de potências estrangeiras esfacelando e atrasando o país.


Manifestantes fecham ferrovia contra as ações terrorista da Vale
Baixo Guandu/ES 2019
  

O crime hediondo da Vale em Brumadinho soma-se a outros atos delinquentes dessa empresa em nosso país que se apresentam como verdadeiras ações terroristas, chantageando, assassinando e colocando o povo em constante tensão e pânico ante a verdadeiras bombas de destruição em massa, que são suas barragens de rejeitos. Nos dias que se seguiram ao rompimento da barragem pudemos presenciar todo o cinismo da diretoria da Vale e de políticos, dizendo que essa empresa é uma “joia nacional”, que não se pode “destruir tão promissora empresa”, por causa de um “acidente”. Estes pensam que somos idiotas. Não foi acidente, foi crime hediondo e esses diretores devem ser presos. Pudemos também ver como o ocorrido foi utilizado para se praticar os atos mais descarados pelas “autoridades” do velho Estado, tal como admitir a presença e circulação em nosso território de tropas assassinas do exército de Israel. Tal absurdo, sob o pretexto de solidariedade, não foi mais do que barata jogada de marketing, na tentativa de limpar suas mãos manchadas do sangue do povo palestino e tentativa de naturalizar a presença de tropas militares estrangeiras no território nacional e formar opinião pública favorável à instalação de base militar ianque no Brasil, descaradamente defendida por Bolsonaro e confabulada secretamente sua instalação. Também presenciamos toda a desfaçatez e desrespeito do monopólio de imprensa para com as vítimas em seu sofrimento, invadindo sua intimidade e manipulando informações. A operação abafa, em curso, encabeçada pela Vale e aplicada por todo o monopólio de imprensa, busca tirar do foco o atentado terrorista, dos responsáveis (dirigentes da Vale e autoridades do Estado) e esconder o descaso e o desprezo às vítimas e toda sua revolta. Somente a mobilização e ação popular podem fazer justiça!

Não há como qualificar crimes tão horrendos, em série e premeditados. As barragens de rejeitos e toda a atividade mineradora predatória são bombas montadas e crimes premeditados contra nosso povo e nação. Não só o seu rompimento, mas sua existência mesma, são verdadeiros atentado e ação terroristas contra nosso povo e o meio natural. Os diretores da Vale são os principais criminosos e os governantes seus cúmplices!

Exigimos a suspensão de todas as atividades de mineração para o desmonte de todas as barragens de rejeitos no País e sua proibição definitiva. Desmonte de todas as barragens e não a meia dúzia como propõe a Vale e em prazos de anos. Exigimos punição exemplar para a diretoria da Vale, cadeia para estes planejadores e executores de crimes de lesa-humanidade e de lesa-pátria!

Com dor e revolta expressamos nossa solidariedade para com o povo e a nação brasileira frente ao crime premeditado perpetrado pela Vale, em especial com as vítimas diretas atingidas pelo rompimento da barragem de Brumadinho neste ano e de Mariana em 2015. Também expressamos nossa revolta e solidariedade àqueles que hoje sofrem diuturnamente o terror promovido pela Vale e demais mineradoras nas várias regiões do país.
Protesto em Mariana contra a Vale/BHP Billiton/ Samarco - novembro de 2016
Não deixaremos esses crimes serem esquecidos! Seguiremos mobilizando, junto a luta de todo o povo atingido, e organizando comitês de apoio, solidariedade e denúncia. Conclamamos todas as mulheres de nosso povo a prestar efetiva e ativa solidariedade ao povo de Mariana, Brumadinho, Barão de Cocais, Santa Bárbara,  São Gonçalo do Rio Abaixo e tantas outras regiões atingidas. São centenas de famílias que perderam pais, mães e filhos. São centenas de crianças órfãs. Defendemos o sagrado direito de as famílias enterrarem seus entes queridos com dignidade. Ao desenvolver nossa mobilização desfraldamos a bandeira da nacionalização das riquezas minerais e sua industrialização, como base da superação da subjugação nacional tendo a certeza de que tal transformação somente pode ser realizada com a Revolução de Nova Democracia tão necessária em nosso país.


Exigimos a punição dos responsáveis por mais este crime hediondo! Prisão para toda a diretoria da Vale e seus cúmplices nos governos!



Pelo fim imediato de todas barragens de rejeitos!



Justiça para os assassinados, mutilados, familiares e atingidos pela Vale em Brumadinho!



Justiça para os assassinados, mutilados, familiares e atingidos pela Vale/BHP Billiton/Samarco em Mariana!



Pelo direito de enterrarmos nossos ententes queridos!



Abaixo o roubo de nossas riquezas! Nacionalização e industrialização dos recursos naturais do país já!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias recentes

Camponesas do MFP em Manga e na área camponesa Vanessa celebram: “Viva o 8 de março dia internacional da mulher trabalhadora!”

Nos dias 6 e 7 de março as companheiras dos núcleos do MFP na cidade de Manga e na área camponesa Vanessa realizaram reuniões em celebração ...