sábado, 28 de julho de 2018

Reunião do MFP em Belo Horizonte. Homenagem à companheira Sandra Lima.


Reunião do MFP em Belo Horizonte. 

Homenagem à companheira Sandra Lima. 



No último dia 27 de julho, o Movimento Feminino Popular convocou companheiras e companheiros para uma reunião em Belo Horizonte com o objetivo de impulsionar a organização do MFP e homenagear a companheira Sandra Lima na passagem dos dois anos de seu falecimento.

As companheiras do Movimento fizeram uma apresentação do hino do Movimento Feminino Popular, Lutadoras da Revolução. Declamaram a poesia A tua presença, publicado neste site, feita por um companheiro em homenagem a companheira em julho 2016.

Foi exibido um vídeo, que mostra a trajetória da companheira Sandra através de fotos e vídeos de sua participação na luta, desde a juventude. Relembramos o importante papel de dirigente revolucionária que a companheira cumpriu, particularmente após o rompimento com o Nacional Reformismo em 1995. A companheira, defensora da ideologia do proletariado, o marxismo-leninismo-maoísmo, foi fundamental no impulsionamento das organizações populares classistas, combativas e revolucionárias na cidade e no campo, sempre decidida a servir ao povo e com uma fé infinita no poder das massas que fazem a história. Combateu intransigentemente o oportunismo e o revisionismo como necessidade para avançar a revolução em nosso país como parte da revolução proletária mundial. Como parte da sua consciência revolucionária, dentro da compreensão de que sem a participação da mulher não há revolução alguma, lutou pela construção de um vigoroso movimento feminino revolucionário em nosso país, sendo o principal quadro do Movimento Feminino Popular desde a sua fundação no ano 2000.

Na reunião, uma companheira do MFP apresentou a necessidade de impulsionarmos a organização do Movimento Feminino Popular neste momento de aprofundamento da crise do capitalismo burocrático em nosso país como parte da crise geral do imperialismo. Apontou que a brutal realidade de opressão sobre as mulheres cresce exponencialmente com a crise do sistema imperialista. Que precisamos ir com mais decisão na tarefa de organizar, politizar e organizar as mulheres, combatendo o feminismo burguês e pequeno burguês, aparentemente radical, que são um importante instrumento ideológico para dividir a classe e iludir as mulheres de que é possível destruir a opressão feminina dentro dos marcos do capitalismo.

Apontou que para destruir a quarta montanha que pesa sobre os ombros das mulheres, a opressão sexual, o caminho é a Revolução de Nova Democracia para derrubar as três montanhas que pesam sobre as classes exploradas e oprimidas de nosso povo, a semifeudalidade, o capitalismo burocrático e o imperialismo. Ou seja, que o caminho da Emancipação da Mulher é Obra da Revolução Proletária. Também afirmou a necessidade de organizarmos uma vigorosa campanha de boicote às eleições, desmascarando este velho e podre estado e suas instituições que existem para explorar e oprimir as massas de nosso povo.

Por fim, apontou a necessidade de reafirmar nossa Linha Geral, nossos Princípios de Organização, nossos Métodos de Trabalho e de Direção, nossos Objetivos Programáticos e na fé infinita nas massas, convocando todos companheiros e companheiras a trabalharem no impulsionamento da organização dos núcleos do MFP. A reunião terminou com uma vigorosa reafirmação do juramento do MFP.


Companheira Sandra, presente na luta!

Despertar a fúria revolucionária da mulher!

Viva o Movimento Feminino Popular!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias recentes

Canto Geral lança "Santa Elina é dos Camponeses"

Retirado do jornal a nova democracia:  15 JUNHO 2021 Canto Geral lança "Santa Elina é dos Camponeses"   A banda Canto Geral la...