terça-feira, 16 de março de 2021

Jornal MFP: As mulheres camponesas e a Revolução Agrária

 As mulheres camponesas e a Revolução Agrária

“Façamos nós por nossas mãos tudo que a nós nos diz respeito.”

Do jornal do MFP - março 2021

Companheiras,

A luta pela libertação de nosso povo, para por fim a tantos sofrimentos se dá através da nossa organização decidida e classista, pelo caminho da revolução. O MFP afirma que a revolução democrática só pode ser impulsionada através da revolução agrária antifeudal. Ou seja, através da destruição do latifúndio, sistema e classe mais atrasados de nossa sociedade e pilar da dominação imperialista semicolonial sobre o Brasil. O latifúndio só traz miséria, exploração, trabalho escravo para o povo e destruição da natureza e atraso para a nação. Os latifundiários se enriquecem grilando e roubando terras, explorando o povo de todas as formas e se empanturrando com o dinheiro público, obtido pelo favorecimento que esse Estado lhe concede através dos financiamentos bilionários, cujas dívidas são continuadamente perdoadas.

Ninguém honesto e trabalhador precisa desses parasitas! Quem precisa deles são só os políticos corruptos que eles financiam para proteger seus interesses no Estado, colocando-os através dessa farsa eleitoral nas prefeituras e nas câmaras de vereadores, nos governos de estado e nas assembleias legislativas, no governo federal, na câmara de deputados e no senado. E este velho Estado burocrático governa para atender os latifundiários e grandes burgueses, servindo aos interesses do imperialismo, principalmente ao ianque (norte-americano), que saqueia as riquezas do país e chupa o sangue do povo.


Com a revolução agrária e a destruição dos latifúndios as mulheres camponesas conquistarão seu pedaço de terra e organizadas darão grandes passos em sua emancipação. A revolução agrária impulsionará a revolução democrática na cidade e no campo para avançar para o socialismo e a conquista da emancipação da mulher. Na luta pela revolução agrária as mulheres camponesas criarão organizações poderosas e se imporão fazendo valer seus direitos, barrando toda opressão, discriminação e violência de que ainda é vítima.

Desde já as companheiras devem participar das reuniões para fortalecer o MFP, das assembleias e tomadas de terra. Devem participar ativamente dos estudos sobre o problema agrário para entender o Programa Agrário Revolucionário e ajudar a propagandear a revolução. Devem participar da construção das Assembleias Populares e dos Comitês de Defesa da Revolução Agrária. Devem ajudar a levantar e impulsionar as Escolas Populares, a organização das crianças e da juventude.

Convocamos as companheiras à luta pela terra, pelo pão, pela justiça e pela nova democracia. Vamos nos organizar e politizar lutando por nossos direitos! Venha se organizar no Movimento Feminino Popular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias recentes

Jonal da Liga Operária para o dia do Internacionalismo Proletário.

A seguir, reproduzimos o material da Liga Operária por ocasião do Dia do Internacionalismo Proletário. Retirado do site da Liga Operária. Vi...