sexta-feira, 13 de julho de 2018

A flor revolta


A seguir publicamos poesia feita em homenagem à companheira Sandra, escrita pelo companheiro Eugênio. No próximo dia 27 de julho completará 2 anos da morte da nossa companheira e dirigente Sandra Lima.

A flor revolta*

Será que toda flor é singela?
conheci uma que é revolta
não se limitava a forma
queria expor sua essência.

Não podia ser definida
não devia ser contida
a fronteira viva de seu pensamento
não permitia estagnação.

Os destemperos climáticos não a dobraram
sempre vermelha apontava o caminho adiante
sua beleza não estava apenas em sua forma
existia em sua conduta na sua luta.

Quando secou, sua essência seguiu
muitas sementes brotaram
sua imagem pode ainda ser vista
outros seguem semeando sua revolta.

* Poesia escrita em homenagem à companheira Sandra Lima pela passagem de um ano de seu falecimento, em 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Notícias recentes

Jonal da Liga Operária para o dia do Internacionalismo Proletário.

A seguir, reproduzimos o material da Liga Operária por ocasião do Dia do Internacionalismo Proletário. Retirado do site da Liga Operária. Vi...